Por que tentamos e não conseguimos a Excelência?

10 MAI 2018
10 de Maio de 2018

E pessoas com tanto potencial não conseguem a superação...

 

No âmbito pessoal, normalmente quanto maior o impacto que nossas ações podem ocasionar à nossa Qualidade de Vida, tendemos a nos tornarmos mais críticos conosco mesmos, a nos observarmos mais e inclusive a temermos mais os erros.

 

E não raro, nos observamos com rendimento muito inferior ao que sabemos que podemos atingir.

E como líderes, como formadores de opinião, esta percepção se não tratada convenientemente pode causar desastres em nossos relacionamentos profissionais e pessoais.

 

E também é muito comum, ao contratarmos um determinado profissional, criarmos expectativas de que ele irá não somente resolver os problemas que estaremos delegando a ele, como também, que se desenvolva e possa superar nossas expectativas.

Só que isto, muitas vezes também não ocorre e aquele profissional que teria tudo para decolar, mal consegue andar na pista de pouso ...

 

E por vezes, ainda acaba atrapalhando outros que poderiam decolar ...

 

Aspectos comportamentais são em geral os que mais influenciam e impedem o desenvolvimento profissional; estatísticas mostram que as pessoas normalmente são contratadas por sua formação e competência profissional e em grande maioria, são demitidas devidos a problemas relacionais diversos...

 

Existem muitas causas que colaboram para que isto aconteça, que afetam tanto a cada um de nós como líderes, como também nossos liderados e talvez futuros líderes em potencial.

 

E também as soluções são diversas, mas partem da premissa que o empresário ou o líder tenha condições de identificar estas situações tanto nos demais, quanto em si mesmo.

 

De forma genérica, podemos entender esta situação como “O limite do elefante”:

 

Imagine um filhote de elefante amarrado a enormes correntes e a poderosas estacas presas no chão. Em vão ele tenta escapar bravamente. Exausto e desanimado, desiste.

 

O tempo passa, ele se torna adulto e agora o imagine amarrado numa frágil estaca de madeira.

 

Neste momento de sua vida, ele tem a força de muitos homens, mas não sabe disso e logo que sente uma frágil corda prendê-lo: para submissamente.

 

As poderosas correntes do passado não existem mais, mas ele acredita que ainda esteja preso; as limitações estão dentro da cabeça dele, pois ele foi programado para não saber o quanto é capaz.

 

Será que isto não acontece com Você? Ou qual será a frequência com que isto ocorre em sua empresa ?

 

Cada um de nós tem dentro de si um elefante de recursos adormecidos, mas por que, a excelência de desempenho máximo não acontece na sua Vida?

 

Quando era um elefantinho, talvez tenham te amarrado nas correntes da dúvida, da incerteza, do medo de vencer ou de frases como “Você não vai dar certo”, “Você não tem o dom”, “´Você é burro mesmo”...

 

Estas e outras correntes se tornaram para Você, suas “crenças limitantes”, que estão em seu inconsciente e limitam seus resultados ...

 

Mas agora, estes bloqueadores não existem mais, embora continuem dentro de sua mente.

 

Liberte-se de idéias de fracasso e de desânimo.

 

Decida quebrar AGORA estas correntes imaginárias!

 

(Reflexões adaptadas do artigo “A fórmula da Excelência”, Maurício Góis -  Revista Vencer no. 99)

Voltar